Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Jesus morreu numa cruz.

Acho que, no séc. XXI, não há ser humano que nunca tenha ouvido falar.

A Cruz tornou-se num símbolo importante, certo?

Não, não se tornou!

Na época foi humilhante Jesus ter morrido na cruz. Foi vendido como um escravo (a traição de Judas por 30 moedas de prata) e morreu numa cruz, como acontecia ao pior dos humanos. Para todos foi uma grande vergonha e um verdadeiro escândalo.

Nos lugares secretos em que se praticava os sacramentos, antes do Cristianismo ser autorizado, não se encontra nenhum símbolo da cruz. Existem desenhos dos cestos de peixes e pão, cordeiros, Jonas, etc...

Aliás, foram encontradas cruzes, da mesma época, que gozam os cristãos: a face de Jesus na cruz é uma cabeça de burro.

(Os animais burros têm uma longa tradição!)

A cruz foi esquecida de propósito. Não era dignificante para os cristãos que o filho de Deus tivesse morrido na pior das mortes: crucificado.

Penso que hoje em dia, em alguns países seria a cadeira da morte das prisões, certo? Qual é a família que se orgulha dizer que o seu familiar morreu na cadeira da morte de uma prisão?!

IMG_2016.JPG

Então, o que é que aconteceu?

Hoje em dia, eu vejo cruzes por todo o lado!

Na época do Império Romano, século I d.c., aconteceu uma famosa batalha: "Saxa Rubra". Dois romanos, com grande ambição, queriam ser Imperadores. Um tenta ascender, outro tenta manter.

Um deles era o filho querido de Helena (Santa Helena).

Ao anoitecer, Constantino e os seus soldados viram no céu um raio de luz especial, e que refletia uma cruz e um letreiro que dizia "Com este sinal vencerás!".

Durante essa noite Constantino sonhou com o mesmo sinal. Jesus diz-lhe para fazer um estandarte com aquele sinal e aquelas palavras.

Constantino faz, e leva-o na sua mão direita para a batalha, no dia 28 de Outubro de 312. Derrota o seu rival e é coroado como único imperador de Roma. Esta batalha ficou conhecida como a batalha protegida pelo sagrado Lábaro da Cruz.

O símbolo da cruz, com a experiência de Constantino, tornou-se Paz e Vitória. Muitos viram o mesmo que Constantino viu, e por isso a CRUZ tornou-se num símbolo de milagre!

 

" A cruz gloriosa do Senhor ressuscitado é a árvore da salvação.

Nela eu alimento-me e deleito-me; nas suas raízes, cresço; nos seus ramos, estendo-me.

O seu orvalho dá-me força, o seu espírito como brisa fecunda-me; à sua sombra coloquei a minha tenda.

Na fome, ela é comida; na sede, água viva; na nudez, vestido. 

Caminho apertado, porta estreita, escada de Jacob, leito de amor onde o Senhor nos desposou.

No temor, defesa; no obstáculo, força; na vitória, coroa: na luta, és o prémio..."

in Santa Helena, Editorial Missões Cucujães, pag.s 28 e 30

 

A cruz, de forma incrível, foi escolhida para ser o objeto de morte de Jesus Cristo e da nossa salvação. O filho de Deus, por obediência ao Pai, morreu na cruz, inundado de dor e sofrimento, humilhando-se ao nível do escravo e do verme. Fê-lo por obediência ao seu Pai, mas mais do que isso por nosso amor. A sua morte foi de tal maneira cruel e forte que redimiu, de uma só vez, todos os pecados de todos os humanos que já viveram, que vivem e que viverão!

Hoje tento aceitar, todos os dias, a minha (pequena) cruz, beijando-a e abraçando-a!

IMG_2015.JPG

Mais uma bela surpresa que advém da Santa Helena, de quem herdei o meu nome próprio!

Como já referi antes, durante muito muito tempo achei que ler a história de Santos seria muito aborrecido. Mas enganei-me redondamente!

E... bem, a minha Santa... ainda não fica por aqui! No próximo dia 3 de Maio, a história continua!

Autoria e outros dados (tags, etc)


1 comentário

De Marco a 25.04.2016 às 10:20

Comentar post



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo