Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Deus criou-nos com bondade e perfeição.

Depois decidiu dar-nos toda a liberdade, para todos podermos vivermos plenamente neste mundo físico, neste planeta (o livre-arbítrio).A criação de Miguel Angelo.jpg

Ora aqui está: este foi o grande problema. Por causa desta liberdade tudo o resto aconteceu!

Deus deixou o homem tomar as suas próprias decisões. Poderia não o ter feito.

Deus, suponho, deve ter pensado que não era justo para nenhuma das partes, pois de contrário teria uma humanidade amestrada.

Quem é a pessoa que gosta de saber que o outro o ama por obrigação?

Deus criou-nos à sua semelhança. E de igual forma também nos deu a possibilidade de optar e decidir.

Acontece que Deus sempre nos amou, desde o princípio: o Pai ama os seus filhos.

E os filhos? Amam o Pai? De forma gratuita e voluntária?

Deus poderia não nos ter dado essa liberdade e todos amaríamos o Pai. Porquê? Simplesmente porque sim. Deus tem esse poder para obrigar e impor qualquer sentimento ou atividade.

Seriamos por exemplo como os cães totalmente fieis e submissos, que mesmo quando são mal tratados adoram os seus donos.

IMG_7152.JPG

Deus não quis esse amor, e como tal permitiu que os homens tivessem essa liberdade de escolher quem amar... e o que fazer, onde residir, quando comer, o que vestir, para onde ir, fazer o quê, etc...

Qual Pai não fica embriagado de alegria ao perceber que o seu filho o ama verdadeiramente? Não por causa do seu dinheiro, do seu poder, do seu carro, da sua casa... mas simplesmente porque é seu Pai.

_DSC4992.JPG

Amar verdadeiramente.

Acontece que a humanidade, porque pode tomar decisões, escolheu outras coisas que não Deus. E foi assim que apareceu a ação do mal, ou seja, a desobediência à Lei de Deus. Num comportamento consciente o homem afasta e rejeita Deus. E cada vez que isto acontece movimenta-se forças cósmicas no Universo responsáveis pela desordem, corrupção, destruição de tudo o que Deus criou e considerou ser "muito bom". 

"O mal não é uma realidade em si próprio, mas a ausência de Deus (...)" consequência do nosso "abuso voluntário do livre-arbítrio".*

 

Mãos Criação Miguel Angelo.jpg

Portanto:

Pecado - é um movimento consciente, que nos afasta de Deus e o rejeita;

Tentação - violação da vontade divina.

 

E o pecado original? Eu nasci com essa "herança". Porquê?

Será o tema do próximo post.

 

 

 

Nota: estes últimos dois posts surgem porque tenho andado a ler o seguinte livro:

* in "Cristianismo - Guia ilustrado dos 2000 anos da fé cristã", de Ann Marie B. Bahr, Editora h.f.ullmann, de 2009.

Tenho aprendido muito sobre a nossa história com Deus, clarificando conceitos e organizando ideias.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo