Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Recentemente fui com um grupo de amigas a Fátima (XXI Peregrinação Nacional dos Acólitos a Fátima  - AQUI).

Fomos num sábado e viemos no domingo. 

Este sábado foi muito especial... ficou marcado na minha memória como o dia tive muitas limitações cognitivas!

Tinha dormido pouco nas duas noites anteriores e por isso o meu cérebro recusava-se a funcionar. Assim senti-me muito mal por mim e pelas minhas amigas que me acompanhavam, porque eu estava a ser uma péssima "organizadora". 

 

Perdi-me nas estradas da cidade de Fátima, várias vezes. Não é que Fátima seja grande mas tem muitas estradas de sentidos únicos, e o GPS que é uma excelente ferramenta foi um grande motivo de frustração, não me ajudou em nada.

O grande problema foi encontrar a entrada da Casa de Retiros de Nª Sª das Dores (quando já tínhamos ido à Casa de Retiros da Nossa Senhora do Carmo por engano). Eu baralhei-me toda nesse dia: qual era a Casa onde ficávamos, o acesso à Casa, etc... Só o apoio e a descontração das minhas amigas é que me fizeram continuar e não desistir (segurando as lágrimas de frustração).

Depois de várias peripécias (de paragens abruptas num transito intenso), lá encontramos, graças às minhas companheiras!

 

O que são as Casas de Retiros? São duas e situam-se uma de cada lado do Santuário. São da gestão do Santuário e a preço acessível encontramos instalações limpas, confortáveis no suficiente, e seguras. Senti-mo-nos protegidas e acarinhadas. Só conseguimos marcação se formos credenciados pela igreja.

 

fullres_79.jpg

 

Eu tive a oportunidade de ficar em cada uma delas em formações que participei do Serviço Nacional de Acólitos (SNA) e gostei muito de ambas. E foi curioso quando soube que seria numa delas que iria ficar o Papa Francisco na sua recente visita a Portugal.

Retomando a minha história, lá encontramos a Casa de Retiros de Nª Sª das Dores

As minhas amigas ficaram muito curiosas com o edifício e a dinâmica. Esta Casa têm claramente duas zonas de estilos diferentes. Nós ficamos numa zona que, segundo a minha amiga Lurdes, parecía que estavamos num hospital (que do nosso ponto vista é muito bom).

O edifício teria tido no passado algum serviço de saúde?

Pois bem companheira Lurdes, investiguei e encontrei:

 

Casa de Retiros de Nª Sª das Dores - É a casa-mãe das Irmãs Reparadoras de Nª Sª de Fátima e o Posto de Socorros do Santuário de Fátima. É o Albergue dos Doentes que começou a ser construído em 1926. Sempre acorreram muitos doentes a este local.

Esta Congregação das Irmãs Reparadoras de Nª Sª de Fátima, cujo fundador é o Padre Manuel Formigão, surgiu em 1926 por inspiração de Santa Jacinta Marto.

 

Casa de Retiros de Nª Sª do Carmo - projetada pelo Arquiteto José Carlos Loureiro. É onde está a Reitoria do Santuário (Serviços de Administração, Serviço de Alojamentos, Serviço de Estudos e Difusão, Serviço de Pastoral Litúrgica.

 

Explorando a Casa encontramos uma capela: 

IMG_2538-002.JPG

Na sua entrada, a receber as pessoas, encontramos o Anjo...

IMG_2541-001.JPG

Uma capela lindíssima. Eu que não sou nada fã da arquitetura de vanguarda, mas esta capela é mesmo (outra vez) lindíssima!

De repente tudo valeu a pena para chegar até aqui.

IMG_2534-001.JPG

Aqui podemos ver o altar mais de perto. Vejam a maravilha desta pedra (mármore suponho) cor de rosa com a cruz presa ao teto daquela forma:

IMG_2528-001.JPG

 Um panorama do lado esquerdo e do lado direito do altar:

IMG_2529-001.JPGIMG_2524-001.JPG

 Em pormenor o sacrário (a caixa dourada em cima do pilar) sob o olhar da imagem de Nossa Senhora de Fátima:

IMG_2526-001.JPG

 A parede esquerda...

IMG_2525-001.JPG

que recebe a luz do dia...

IMG_2522-001.JPGSuponho que seja possível visitar esta capela (solicitando na receção) sem estarmos hospedados nesta Casa de Retiro.

Tenho a impressão que irei descobrir isso em breve.

 

Num cantinho desta capela encontramos uns papelinhos com esta oração:

IMG_2543-001.JPG

Autoria e outros dados (tags, etc)


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo